sexta-feira, 6 de maio de 2016

EDITORA MODELO

«PATRULHA DE CAVALARIA» («Little Big Horn»), filme realizado em 1951 por Charles Marquis Warren, é um daqueles westerns da chamada Época de Ouro, que muitos cinéfilos julgavam definitivamente perdido na poeira dos arquivos de Hollywood; e que jamais seria editado, na Europa, em suporte DVD ou outro. Enganámo-nos redondamente, pois graças aos esforços de uma editora francesa, que está a festejar o seu 10º aniversário -a Sidonis-Calysta- uma excelente cópia desta fita pôde ser proposta recentemente aos westernófilos de França (país onde o filme em questão até era inédito) e a todos aqueles que dominam, para além do inglês original, a língua de Vítor Hugo. Obrigado à supracitada editora, que se especializou no lançamento de filmes de um género que nos é caro e que nos tem surpreendido com os títulos que, ano após ano, vai lançado no mercado. Títulos que, confesso, eu nunca esperei ver ou rever. Bem haja !

«STORM OVER WYOMING»

Filmezinho de Lesley Selander (1950) com a popular figura de Tim Holt no papel do herói. No elenco desta produção de fraco orçamento da companhia RKO, constam, ainda, os nomes de Richard Martin, Noreen Nash, Richard Powers e Betty Underwood. «STORM OVER WYOMING» (inédito por cá) foi filmado a preto e branco e tem uma duração de apenas 61 minutos. A acção desenvolve-se durante uma guerra sustentada pelos ovelheiros do Wyoming contra criadores de bovinos. Tema banalíssimo, não fora o facto de que, aqui, os maus são mesmo os criadores de ovinos; que se opõem por todos os meios (mesmo os mais violentos) à partilha dos pastos disponíveis. Títulos brasileiros : «Tempestade sobre Wyoming» e «Aventuras Ciclónicas».

«A TALENT FOR LOVING»

Nunca estreado no nosso circuito comercial, «A TALENT FOR LOVING», de Richard Quine, é um western de produção independente, distribuído internacionalmente pela Paramount em 1969. Tem Richard Widmark, Genevieve Page, Cesar Romero, John Blauthal, Max Showalter e Topol na interpretação dos principais papéis. Foi filmado a cores e a sua duração é de 110 minutos. A história contada neste filme (que eu confesso nunca ter visto) é a de um rancheiro ambicioso, ávido de terras a juntar ao seu já vasto domínio. E que, para tanto, vai contrair um casamento de interesses com uma rica herdeira mexicana. Mas há um problema : a sua noiva e respectiva família são presas de um sortilégio azteca, que vai contrariar as ambições do marido gringo... Parece que esta fita também não chegou a ser exibida no Brasil.

«O FILHO DE BELLE STARR»

Modesto western realizado, em 1953, por Frank McDonald. «O FILHO DE BELLE STARR» («Son of Belle Starr») tem a chancela da companhia Allied Artists e contou com a participação artística de Keith Larsen, Dona Drake, Peggie Castle, Regis Toomey e James Seay. É uma fita a cores com 70 minutos de duração, que nos conta a história de um jovem que quer romper com o passado que o persegue, visto ser filho da famosa fora-da-lei Belle Starr. Mas o destino acaba por agarrá-lo, obrigando-o a seguir os passos da sua progenitora... Título no Brasil : «O Filho da Bandoleira». Película sem grande interesse.

quinta-feira, 5 de maio de 2016

ENTRE OS NAVAJOS DO ARIZONA

Menino Navajo, executando passos de uma dança tradicional do seu povo. Povo fascinante com o qual eu contactei -durante o curto espaço de um dia- em 1999, aquando de uma inesquecível visita a Monument Valley. Também pernoitei em território índio, num hotel de Tuba City; cidadezinha onde, curiosamente, o escritor Tony Hillerman situa a acção de muitos dos seus romances. Cujo herói é um jovem e arguto oficial da polícia tribal, que, ao mesmo tempo que exerce o seu cargo, se dedica a estudar a espiritualidade na cultura Navajo.

OESTE AMERICANO, 1832

Cerca de 1832, no Oeste americano  - Dois cavaleiros atravessam, com as devidas precauções (um deles exibe uma arma de fogo numa das mãos), um formoso vale das Montanhas Rochosas perfeitamente identificável : o Grand Teton Valley, no actual estado do Wyoming. Esta bela tela a óleo é da autoria do insigne artista Barry Eisenach.

«THE LAW VERSUS BILLY THE KID»

«THE LAW VERSUS BILLY THE KID» é um modesto e dispensável western que data de 1954 e que nunca estreou no nosso país. Teve realização de William Castle e utilizou os serviços de actores como Scott Brady, Betta St, John, Alan Hale Jr., Paul Cavanagh, Steve Darrell e outros. Foi produzido e distribuído pela Columbia Pictures, filmado a preto e branco e tem 72 minutos de duração. A história contada decorre em torno do jovem e famoso pistoleiro do Novo México, Billy the Kid; que aqui se enamora de uma sobrinha do rancheiro Tunstall. O que não é do agrado de toda a gente... Título brasileiro : «O Último Matador».