quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

«GREY KNIGHT»

História, suspense e terror são os principais ingredientes desta fita, cuja acção decorre durante os negros anos da guerra de Secessão. Um combatente do exército federal é comissionado para investigar uma série de curiosos e horrendos crimes : a crucifixão de vários combatentes, efectuada por um bando de renegados sulistas; que, ao que parece, são eles próprios vítimas de uma maldição africana... Só isto me deixa com pouca (ou nenhuma) vontade de ver «GREY KNIGHT», uma fita realizada, em 1993, por George Hickenlooper. Colorida e com 92 minutos de duração. Com Corbin Bernsen, Martin Sheen, Adrian Pasdar, Ray Wise, Cynda Williams, David Arquette, etc.

«GRAYEAGLE, O BRAVO»


O western «GRAYEAGLE, O BRAVO» («Grayeagle») teve estreia mundial em Dezembro de 1977. Foi realizado por Charles B. Pearce e teve os actores Ben Johnson, Alex Cord, Iron Eyes Cody, Lana Wood, Jack Elam, Paul Fix, Jacob Daniels e Cindy Butler a desempenhar os principais papéis. Conta-nos a história de um bravo guerreiro Cheyenne, que é incumbido -pelo conselho dos anciãos da sua tribo- de ir buscar a filha de um chefe moribundo; que a quer ver uma última vez antes de morrer. O problema é que a mulher em questão vive no seio de uma família de pioneiros brancos, que, naturalmente, não quer abdicar dela. E que se lança na peugada do seu raptor pele-vermelha para a reaver. Alguns críticos viram nesta obra algumas afinidades com «A Desaparecida», de John Ford; que é, diga-se em abono da verdade, um filme de outra dimensão. Fita já exibida por um dos nossos canais de televisão, colorida e com 104 minutos de duração. Título brasileiro : «Grayeagle : Um Bravo Cheyenne».

«GONE WITH THE WEST»

«GONE WITH THE WEST» (também conhecido pelo título «LITTLE MOON AND JUD McGRAW») é um filme datado de 1975 com realização de Bernard Girard. Que contou com a participação artística de James Caan, Stefanie Powers, Sammy Davis Jr., Aldo Ray, Anne Barton, Robert Walker Jr,, Elizabeth Leigh, Paul Bergen, etc. Produzido pela companhia International Cinefilm, é colorido e tem 92 minutos de duração. A história começa assim : Jud McGraw sai da prisão, depois de ter cumprido uma severa pena. E só pensa vingar-se daquele que o fez condenar injustamente. A caminho da terra onde vive o famigerado Mimmo, o ex-presidiário encontra uma jovem índia -Little Moon- que também tem contas a ajustar com o facínora... Título brasileiro : «Dupla Vingança».

O MARTÍRIO DE SÃO SEBASTIÃO


Lotan Welshans (1905-1985) foi um artista plástico norte-americano, que -nos anos 50 do passado século- se instalou no Arizona. Estado do Oeste dos Estados Unidos onde ele pintou inúmeras telas (sobretudo aguarelas) inspiradas pela paisagem, pelas gentes e pelos costumes locais. Tendo enveredado pelos caminhos do surrealismo, Welshans ficou conhecido no meio artístico como «o Dali do Deserto». O trabalho desse pintor, que hoje aqui vos apresento, conjuga tradição religiosa com a natureza e o folclore locais. Nele se evoca a paixão de São Sebastião num característico quadro western. O mártir está amarrado a um gigantesco cacto 'saguaro' e as flechas que trespassam o santo, serão, porventura, as dos pele-vermelhas que atacaram a diligência vista em segundo plano. Aos pés do torturado também se pode observar um monstro-de-gila, réptil da fauna arizonense... -Curioso, não é verdade ?

Esta obra foi intitulada pelo seu autor «St. Sebastian Martyred at Boulder Pass, Arizona». (Clicar com o rato na imagem, para a ampliar).

quarta-feira, 30 de novembro de 2016

«CHILDREN OF THE DUST»

Telefilme realizado, em 1995, por David Greene. Com : Sidney Poitier, Farrah Fawcett, Michael Moriarty, Grace Zabriskie, Basil Wallace, Regina Taylor, Hart Bochner, Joanna Coing, Jim Cviezel, etc. A acção (que decorre no território do Oklahoma em 1880) começa assim : uma unidade de cavalaria do exército dos Estados Unidos invade uma aldeia pele-vermelha e dá largas à sua raiva contra os nativos, que vai matando a torto e a direito. O guia dos militares -um negro- sente-se traído e decide salvar, naquela barafunda, o filho do chefe ameríndio e conduz a criança sobrevivente a uma família branca; que o vai educar, como se um dos seus filhos se tratasse. O tempo passa... Excelente trabalho, que eu tive a ocasião de conhecer em França, através de uma transmissão televisiva. Nunca tive, no entanto, a ocasião de comprar a respectiva cópia videográfica, que foi distribuída na Europa pela Trimark. O que lamento. Colorido e com 2 h 55 de duração. Titulo brasileiro : «Caçada Brutal».

sexta-feira, 25 de novembro de 2016

«DEUSES E GENERAIS»

«DEUSES E GENERAIS» («Gods and Generals») é mais um relato épico da guerra civil americana, que mostra figuras carismáticas do tempo e que relata episódios de um drama que sacudiu um país dividido e violentamente sacudido por um conflito sem nome. Que, naquele tempo e para aqueles lados, ceifou centenas de milhar de vidas humanas, destruiu regiões inteiras e deixou (até aos nossos dias) marcas indeléveis. Excelente filme de Ronald F. Maxwell (2003), com um elenco no qual se destacam os nomes de Jeff Daniels, Mark Aldrich, Stephen Lang, George Allen, Robert Duvall, etc. Colorido e com 2 h 11 de duração. Título brasileiro idêntico ao usado em Portugal.

OS COWBOYS DIVERTEM-SE...

Exercendo uma profissão dura e perigosa, os cowboys do século XIX compensavam essa vida pouco atractiva (só era vaqueiro quem não sabia fazer mais nada) com visitas de fim-de-semana aos 'saloons' das vilórias mais próximas dos seus ranchos. Onde derretiam literalmente os seus magros salários nas mesas de jogo, com as 'meninas' do bordel ou em bebedeiras que, por vezes, acabavam mal. Para eles e para os citadinos que, por desgraça, topassem com um deles (ou vários) disparando os seus poderosos Colts contra tudo o que lhe(s) dava na real gana. Situação mostrada em muitos westerns, tal como (e é só um exemplo) «O Homem da Lei», de Michael Winner (1971), onde a morte, ocorrida nessas circunstâncias, de um cidadão comum, vai provocar a intervenção ultra-violenta do xerife Jared Maddox, de Bannock City; que culminará com a 'execução' dos vaqueiros implicados num desses intempestivos tiroteios. É essa 'diversão' de cowboys que o artista plástico Andy Thomas aqui representou -magistralmente- num dos seus quadros de temática westerniana.